NOTÍCIAS 2020

ASSEMPLES ENTREGA CESTAS BÁSICAS À COMUNIDADE DE ITARARÉ

22 de Mai de 2020

A Assemples entregou 54 cestas básicas para a comunidade carente de Itararé as 16h do dia 22/05/2020, sexta-feira. Esteve no local o vice presidente da Assemples sr. Bruno Denarde, que fez a entrega ao sr. Vital Ronalt, o representante da comunidade de Itararé.

Foi um momento muito importante para a comunidade ter recebido esta ajuda e mais importante ainda para os associados que tiveram a sensibilidade de participarem deste momento, mesmo quando a pandemia provocada pelo Covid-19 impôs perdas incalculáveis para as empresas e mais ainda de vidas que são irreparáveis.

A diretoria da Assemples agradece mais uma vez aos corajosos associados.

Veja mais

SIMPLES PESQUISA ASSEMPLES ABRIL 2020

25 de Abr de 2020

A Associação das Empresas da avenida Leitão da Silva e Imediações - ASSEMPLES, publica uma pesquisa retratando a percepção dos empresários quanto às dificuldades vividas no momento atual.

Agradecemos a todos que participaram e esperamos nas próximas, contar com um público pesquisado maior.

Tire suas conclusões.

Abçs.

Diretoria

Abaixo o texto e link disponibilizado.

PESQUISA: Prezado amigo(a). A Assemples está antenada com os anseios que envolvem os empresários, diretores, gerentes e autônomos. Para tanto, traçou uma simples e breve pesquisa. Sua participação é bem vinda e importante.

Caso queira falar conosco, entre em contato@assemples.com.br. Sua opinião não será divulgada. Os dados serão analisados em conjunto e os resultados serão divulgados em nosso www.assemples.com.br quando finalizar a pesquisa.

Por gentileza envie também para um amigo seu. Abaixo o link seguro, simples e fácil de ser respondido no seu aparelho celular e leva meio minuto. Responda agora! https://forms.gle/Q4aUUwAQRmWVFdVn7

 

 

 

Considerando a proximidade da eleição para o próximo prefeito, o empresariado em sua maioria 59,3% disse que gostaria de votar em um candidato que fosse de fora da política, e outro grupo representativo que teve 33,9% disse que gostaria de votar em um candidato político que não fosse do grupo do prefeito atual: img-01

Considerando a questão da renovação da Câmara Municipal, a maioria 62,7% sugeriu que deveria trocar mais da metade dos vereadores atuais e em segundo lugar com 35,6% ficou a sugestão que se trocasse todos os vereadores:

img-02

Considerando agora a atual Pandemia do COVID-19, pode-se observar que quanto às medidas tomadas pelo Governo do Estado, a maioria dos respondentes 50,8% disse que modelo adotado foi errado, e que deveria ter sido verticalizado. Ainda, 23,7% considerou desastroso e disse ter ficado decepcionado: img-03

Ainda considerando a pandemia, relataram o esperado, que a atividade produtiva piorou para 91,5%, contudo, 8,5% disse que não sofreu impacto: img-04

Ainda considerando a situação atual, 67,8% responderam que a situação financeira no momento é ruim e 32,2% disse que estão em situação regular: img-05

E por último, até porque se trata de uma pesquisa simples de identificação de sentimento atual, informamos a localização das empresas respondentes: 35,6% se situam na avenida Leitão da Silva em Vitória, Espírito Santo; 33,9% na Grande Vitória; e 30,5% no Estado do Espírito Santo.

O público respondente foram 59 empresários:

img-06

Veja mais

A POLÍTICA INTERFERE NAS NOSSAS EMPRESAS?

09 de Abr de 2020

Alguém já disse no passado: Vamos deixar a política de lado e cuidar de nosso trabalho, pois temos muita coisa para resolver na empresa. Eu também pensava assim. Com o passar do tempo, aprendemos que a política pode ser abençoadora ou destruidora. A política não julga com imparcialidade. Em nossa Constituição de 1988, logo no Artigo 1º, parágrafo único diz: "Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição". Quer dizer que nós brasileiros exercemos o nosso direito através dos nossos representantes eleitos pelo voto, que quando chegam ao poder, se esquecem de quem os elegeram e começam a trabalhar em causa própria pela sua perpetuidade no cargo, e consequentemente no poder.

A política interfere? Veja: Foi por causa de política que deflagrou-se a crise econômica acentuada em 2015, 2016 e 2017, umas das maiores crises já vividas pelo nosso país e atingiu a todos nós. Por causa da política, a obra de reforma e ampliação da avenida Leitão da Silva prevista para terminar em 540 dias, levou 5 anos para ficar pronta (a obra não está concluída 100% e foi inaugurada em novembro de 2019) e custou o dobro do orçamento inicial. Por causa de política a largura da avenida Leitão da Silva foi aumentada para 18,00m em cada lado, do eixo da via existente em um Decreto Municipal de 2008, abrindo margem para na obra acabar com os estacionamentos frontais na avenida Leitão da Silva. Ainda tivemos três grandes ações de vândalos na via, paralisando o tráfego e obrigando o comércio a fechar as portas, duas em 2017 e uma em 2020. Declara-se calamidade pública no Estado do Espírito Santo e por todo o país e determina-se que estabelecimentos não essenciais devem permanecer fechados. O que é negócio não essencial? É justo dizer que "não precisamos da sua empresa ou do seu negócio"?

Hoje, mais da metade da avenida está fechada. Assolados nos últimos cinco anos por estes eventos, é possível superar? Como manter o emprego dos quase mil colaboradores das empresas instaladas na avenida? Algumas empresas sucumbiram e fecharam. Outras se mudaram para o município da Serra.

Temos ouvido nos noticiários diversos "especialistas" comentando o caminho a seguir para recomeçar após a pandemia do Covid-19. Com todo respeito, alguns nunca tiveram empresa e outros não empregam sequer um funcionário. Só quem é empresário, que se arrisca todo o dia a abrir as portas na expectativa positiva que o dia será melhor que o que passou, sabe.

Para se ter uma idéia, o Governo Federal já publicou normas regulamentando os empréstimos de socorro para as empresas via Bndes. O dinheiro não chega. Enquanto isso, os bancos locais falam que as operações estão fechadas por causa da pandemia (porque o banco não pode correr risco) ou que se deve pegar um recurso próprio dele com garantia real. Que política é essa?

Então, refazemos a pergunta: Dá para deixar de lado a política? Claro que não. Temos que fazer a nossa parte. Só empresário pensa como empresário. Precisamos exercer nossa cidadania com responsabilidade nas urnas nas próximas eleições. Quando deixamos à sorte dos acontecimentos, no final ficamos prejudicados. E quando começar? Hoje! Não é no mês da eleição. Pra quem tem memória fraca, precisa sempre ser lembrado. E vamos ao trabalho.

Glaicon Baptista, fundador e conselheiro da Assemples Associação das Empresas da avenida Leitão da Silva e Imediações

contato@assemples.com.br

www.assemples.com.br

09/04/2020.

Veja mais

CORONAVÍRUS: CARREATA REÚNE COMERCIANTES E FECOMÉRCIO PEDE FLEXIBILIZAÇÃO

28 de Mar de 2020

Manifestantes se reuniram na orla de Camburi, em Vitória. Governador Casagrande diz que reabertura do comércio será avaliada a partir do dia 3 de abril. Uma carreata tomou a Avenida Dante Michelini, na orla de Camburi, em Vitória na manhã deste sábado (28). Organizada por diversos movimentos, a manifestação pediu a reabertura do comércio. O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio), José Lino Sepulcri, diz que a instituição não apoiou o ato, mas acredita que a melhor opção para o Estado é flexibilização do decreto estadual para que o comércio volte a funcionar. O governador Renato Casagrande informou, entretanto, que a flexibilização será avaliada somente a partir do dia 3 de abril, quando termina a vigência do decreto emergencial. "A Fecomércio não incentivou a carreata, mas respeita o que eles estão fazendo porque o sentimento das pessoas que estão na manifestação é parecido com o de diversos comerciantes em todo o Estado. A sobrevivência econômica do Espírito Santo depende do comércio, que corresponde à maior fatia do PIB capixaba", disse o presidente da federação. José Lino esclareceu ainda que, caso o decreto seja flexibilizado, a Fecomércio se responsabiliza para adotar medidas de segurança no comércio impostas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde, como evitar aglomerações e utilizar álcool gel. Ele pede ainda que o isolamento passe a ser vertical para que somente idosos e pessoas com doenças crônicas fiquem em casa e o restante volte a trabalhar. "Ocorreu na sexta-feira (28) uma videoconferência com o governador para discutir a situação. Ouvimos do governador a preocupação em relação à saúde, mas nós expressamos para ele nossa preocupação também. Persistir no fechamento irá quebrar muitas empresas", esclareceu.

Organizada pelo Movimento Ação Brasil, Mulheres de Direita e Direita Vila Velha, a manifestação teve início às 10h, com destino à Praia da Costa em Vila Velha. A polícia e a organização souberam precisar a quantidade de veículos envolvidos na carreata, mas a via estava tomada de carros, motos, bicicletas e até caminhões de empresas.

Durante a concentração foram distribuídos balões verdes e amarelos. Um princípio de confusão foi registrado no início da manifestação e um homem saiu algemado do local. Ele foi encaminhado para o DPJ de Vitória. Segundo uma das organizadoras, a jornalista Taís Venâncio, a medida de reabertura do comércio é importante para que muitas empresas não quebrem. "Somos responsáveis, queremos a abertura do comércio para não termos graves problemas econômicos. Haverá muitas pessoas desempregadas e passando fome se isso continuar. Também não queremos o isolamento total, isso pode gerar problemas dentro das famílias, como a violência doméstica e suicídio", pontuou Taís.

Reportagem publicada no Jornal A Gazeta em 28/03/2020

Veja mais

ASSOCIADOS SE REÚNEM COM AUTORIDADES PARA DISCUTIR SEGURANÇA PÚBLICA NA AVENIDA LEITÃO DA SILVA

13 de Mar de 2020

A Associação recebeu em sua reunião em 13/03/2020 representantes da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo.

Representada pelo Capitão Sampaio da 3ª Cia responsável pela Leitão, expôs a situação da Segurança Pública no Estado do Espírito Santo, e em um recorte detalhado, discorreu sobre a situação da segurança nas comunidades que abrange a Av. Leilão da Silva, principalmente o morro da Gurigica e bairro da Penha.

Os associados participaram ativamente dos debates, tirando suas dúvidas e fazendo sugestões de melhorias e reivindicando um planejamento estratégico diferenciado para atender com rapidez as ocorrências na avenida, inclusive situações como ocorreram se vierem a se repetir.

O Comando policial militar se comprometeu a dar um tratamento diferenciado ao comércio local e aos moradores que ficam refém de Atos de Terrorismo, como o corrido em 14/02/2020.

Veja mais

DIRETORIA DA ASSEMPLES SE REÚNE COM O COMANDO DA 3ª CIA DA PM A RESPEITO DO ATO CRIMINOSO DE 14/02/2020, SEXTA, NA VIA

19 de Fev de 2020

A Diretoria da Assemples se reuniu terça, dia 18 fevereiro 2020 com o Comandante da Terceira Companhia, responsável pela região da avenida Leitão da Silva, Capitão Sampaio. Esta Cia atualmente é comandada pelo Coronel Borges, e estava também presente o Sargento Sérgio.

Com muita dedicação, o Capitão Sampaio expôs a situação do morro da Gurigica e as ações presentes de repressão ao crime organizado e atenção à comunidade que tem sido dado pela corporação e o Governo do Estado.

Primeiramente, a Assemples, mais uma vez, colocou em pauta a reivindicação de um módulo policial fixo no centro da avenida Leitão da Silva! A Associação se colocou à disposição para tentar viabilizar este pleito. As duas saídas principais do morro em que os miliantes tem usado para praticar atos de vandalismos tem sido na rua paralela à Pólen e a MilLâmpadas.

Em segundo lugar, foi questionado o tempo que as viaturas demoraram para chegar e foi justificado que o acesso à via estava congestionado, e as viaturas estavam agarradas no final do engarrafamento da via. Observa-se que não há um plano tático eficiente para a via caso aconteça novamente. O capitão Sampaio explicou que hoje o efetivo da PM em geral e em sua Cia está muito reduzido, com dificuldades de atender à demanda capixaba.

Em terceiro lugar, a Cia se comprometeu a orientar as viaturas que peguem mais a rota da avenida Leitão da Silva para aumentar a sensação de segurança e patrulhamento.

Em quarto lugar, a Assemples informou que irá oficiar o comando da PM solicitando mais providências eficientes quanto à prevenção para que não ocorra este infortuito novamente.

A ação criminosa de 14/02/2020 teve início às 8:38 e as 8:49 eles já haviam se evadido para o morro, devido à intervenção de um policial civil. Durou então 11 minutos. A via já estava liberada e fluindo às 9:34, ou seja 56 minutos após ao início da ação criminosa. Várias viaturas permaneceram durante todo dia na Leitão. No entanto, a insistente repercussão negativa durante o dia pela imprensa, inibiu em 90% o fluxo de carros da via durante o dia. As grades de ferro da ciclovia favoreceram a bandidagem, tornando os motoristas reféns.

Veja mais

TENHAMOS UM 2020 CHEIO DE ESPERANÇA

01 de Jan de 2020

Dentre alguns requisitos necessários na vida empresarial destaca-se a persistência. Após quatro anos de economia estagnada, 2019 ressurgiu com novas expectativas, especialmente no último trimestre. Nos últimos cinco anos as empresas precisaram se reinventar, alterar seu planejamento estratégico para fazer frente às dificuldades econômicas impostas por uma economia fraca. Contudo, algo que não se deve mudar ou volatilizar é o foco. Muda-se a estratégia se precisar, mas o foco não. O objetivo não. Quem não sabe onde quer chegar, chega a lugar nenhum. É aqui que destaco a persistência. Persistência em continuar adequando seus negócios e sua empresa aos movimentos econômicos e do mercado, sem perder o seu foco, a razão da existência do seu negócio. Seus valores principais. Quem soube enfrentar a maré das dificuldades com persistência, superando as derrotas temporárias e usando-as como combustível para a vitória, conseguiu concluir mais um ano de pé. Alguns não conseguiram. Talvez se tivessem nova oportunidade fariam diferente, mas não é possível. A mesma oportunidade não volta. Para estes, resta o recomeço. Novas perspectivas de negócios surgem no ano que se inicia, carregadas de desafios. As novas medidas que o governo tomará para a chamada Liberdade Econômica, possivelmente clamará por ajustes nas empresas do seu formato atual para fazer frente ao mercado que atua. Por exemplo, novos players que antes deitados em berço esplêndido das aplicações financeiras agora sufocados pelas quedas da sua rentabilidade, poderão se lançar ao empreendedorismo. A perspectiva do novo ano que se inicia deve nos empolgar porque vem trazendo esperança. Esperanças pessoais, profissionais e de tirar projetos do papel e consolidar a sua realização. Projetos no papel não servem de nada. É sendo executado que ele irá gerar renda, emprego e esperança. É disso que precisamos. Persistir na esperança. Não sabemos o que virá em 2020, mas podemos fazê-lo melhor se com persistência o enchermos com boa esperança. Feliz ano novo.

Glaicon L. Baptista (é fundador e conselheiro da Assemples - Associação das Empresas da Avenida Leitão da Silva e Imediações)

Veja mais